Quando o cabelo está caindo muito, o que pode ser?

A queda de cabelos pode ser sinal de que há um problema nos seus hábitos, ou com a sua saúde. Mas também é possível que a causa seja hereditária.1,2

O tipo mais comum de queda de cabelos, por exemplo, é causado pela falta de vitaminas e minerais necessários para a saúde capilar.3 

Maus hábitos como o tabagismo e o sedentarismo, por exemplo, também contribuem para a perda.4, 5. E, além disso, até mesmo os cuidados inadequados com os cabelos podem contribuir para a quebra dos fios ou enfraquecimento do bulbo capilar. Mesmo assim, todos esses casos podem ser evitados e tratados. 

Além da falta de nutrientes e maus hábitos, problemas de saúde podem desencadear a queda de cabelo.

Há também diversos problemas de saúde que podem desencadear a queda de cabelo. Geralmente, isso ocorre de forma brusca sendo, portanto, um sintoma indicador da própria doença.1

São eles: diabetes, hipertensão, obesidade e triglicérides altos6,7, anemia8,9, doença de Crohn10, doença renal crônica1,13, a bactéria Treponema pallidum14, causadora da sífilis13, a micose causada pelos fungos15, ovário policístico2, mudanças hormonais, como gravidez, parto ou menopausa2, as doenças autoimunes2, a psoríase16, por exemplo.

O estresse crônico1, além das outras causas mencionadas anteriormente, por ser um dos grandes causadores de alterações hormonais, pode provocar a queda de cabelos. 

E até alguns medicamentos, como usados em quimioterapias, por exemplo, ou para artrite, problemas cardíacos, e depressão, também podem levar à queda de cabelos. 1

Existe também, além destes, uma doença chamada de tricotilomania, em que a pessoa arranca com as mãos fios de cabelo, pelos da barba, e do corpo, portanto, provocando falhas bem relevantes.17

Além disso, conheça mais profundamente as três fases do ciclo natural do cabelo baixando esse infográfico.

A hereditariedade como fator desencadeante da queda de cabelo

Uma causa bem conhecida da queda de cabelo é a hereditariedade. Tanto homens quanto mulheres podem herdar a alopecia androgenética de seus pais, apesar de ser muito mais comum em homens.4 Ela ocorre, principalmente, pela conversão de altas doses de testosterona em di-hidrotestosterona, molécula que afeta o ciclo dos fios.20

Em todos os casos, quanto mais rápido cuidar, melhor. 

Por isso, não deixe de comentar com seu médico sobre a queda de cabelo que você tem percebido. Ele pode até enxergar que a perda de cabelo é um indicador de outras doenças mais sérias. 

Por fim, se quiser se aprofundar mais no que pode causar a queda de cabelo, explicamos tudo nessa matéria: Queda de cabelo: o que fazer antes e depois.

Referências:

  1. Harrison S, Bergfeld W. Diffuse hair loss: its triggers and management. Cleve Clin J Med. 2009;76(6):361-7.
  2. Breitkopf T, Leung G, Yu M, Wang E, McElwee K. The basic Science of hair biology: what are the causal mechanisms for the disordered hair follicle? Dermatol Clin. 2013;31:1-19.
  3. Finner AM. Nutrition and hair: deficiencies and supplements. Dermatol Clin. 2013;31(1):167-72.
  4. Trüeb RM. Association between smoking and hair loss: another opportunity for health education against smoking? Dermatology. 2003;206(3):189-91.
  5. Warburton DE, Nicol CW, Bredin SS. Health benefits of physical activity: the evidence. CMAJ. 2006 Mar 14; 174(6):801-9.
  6. Klemp P, Peters K, Hansted B. Subcutaneous blood flow in early male pattern baldness. J Invest Dermatol. 1989 May;92(5):725-6.
  7. Granger N, Rodrigues SF, Yildirim A, Senchenkova EY. Microvascular responses to cardiovascular risk factors. Microcirculation. 2010;17(3):192-205.
  8. Vieth JT, Lane DR. Anemia. Emerg Med Clin North Am. 2014;(3):613-28.
  9. Goluch-Koniuszy ZS. Nutrition of women with hair loss problem during the period of menopause. Prz Menopauzalny. 2016;15(1):56-61.
  10. ABCD. Sobre a Doença de Crohn [Internet]. São Paulo: Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn; [citado jun 2019]. Disponível em: https://abcd.org.br/sobre-a-doenca-de-crohn/
  11. Peres LAB, Passarini SR, Branco MFBT, Kruger LA. Dermatoses em renais crônicos em terapia dialítica. J Bras Nefrol. 2014;36(1):42-7.
  12. Piraccini BM, Broccoli A, Starace M, Gaspari V, D’Antuono A, Dika E, Patrizi A. Hair and scalp manifestations in secondary syphilis: epidemiology, clinical features and trichoscopy. Dermatology. 2015;231(2):171-6.
  13. Dias MF. Hair cosmetics: an overview. Int J Trichology. 2015 Jan-Mar;7(1):2-15.
  14. Trüeb RM. Association between smoking and hair loss: another opportunity for health education against smoking? Dermatology. 2003;206(3):189-91.
  15. 8. Borda LJ, Wikramanayake TC. Seborrheic dermatitis and dandruff: a comprehensive review. J Clin Investig Dermatol. 2015;3(2).
  16. Almeida MC, Romiti R, Doche I, Valente NYS, Donati A. Psoriatic scarring alopecia. An Bras Dermatol. 2013;88(6 Suppl 1):S29-31
  17. Tosti A, Piraccini BM, Sisti A, Duque-Estrada B. Hair loss in women. Minerva Ginecol. 2009;61(5):445-52.

Fontes:

https://www.aad.org/public/diseases/hair-and-scalp-problems/hair-loss

https://veja.abril.com.br/saude/conheca-16-causas-para-a-queda-de-cabelo/

https://saude.abril.com.br/medicina/11-problemas-que-fazem-o-cabelo-cair/

Importante: este produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico. Crianças, gestantes, idosos e portadores de qualquer enfermidade, portanto, devem consultar o médico ou nutricionista. Consumir este produto conforme recomendação de ingestão diária constante na embalagem. Produto dispensado de Registro conforme RDC Nº 27/2010.

Não contém glúten.

Este produto não é um medicamento.

Não exceder a recomendação diária de consumo indicada na embalagem.

Mantenha fora do alcance de crianças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *