Queda de cabelo não é tudo igual, mas as mais comuns dá para tratar

queda de cabelo

Conheça os tipos principais de queda e saiba mais sobre o Eflúvio Telógeno.

Por essa muita gente não esperava. Como assim, queda de cabelo e calvície não são a mesma coisa? Pois é, bom saber que existem tratamentos para os tipos mais comuns. Bora aprender um pouco mais sobre o assunto?

Além de outras condições clínicas, as alopecias podem causar a redução ou ausência dos cabelos. Elas podem ser temporárias ou permanentes e se dividem em vários tipos, porém as principais são: o eflúvio telógeno, a alopecia androgenética (calvície) e a alopecia areata.

A alopecia androgenética, ou calvície, ocorre apenas nos homens que apresentam tendência genética/familiar e está diretamente relacionada à ação de hormônios masculinos (testosterona e diidrotestosterona).

Pode, às vezes, acometer mulheres na menopausa, por exemplo, com predisposição genética, mas raramente a queda é total como no homem.

Já a alopecia areata provoca queda súbita de cabelos em zonas do couro cabeludo, sem nenhum outro sinal aparente. É causada provavelmente por mecanismos autoimunes e inflamatórios, tanto em homens quanto mulheres e pode se iniciar ainda na infância. Estima-se que 1 em cada 50 pessoas é afetada por esta doença durante a vida.

O tipo mais comum de alopecia é o eflúvio telógeno, a popular “queda de cabelos.

Ela pode ocorrer em qualquer momento da vida, sem outro sinal aparente. É notada, principalmente, ao se pentear ou após o banho e pode ser bastante intensa, assustando e gerando ansiedade, principalmente, em mulheres (medo de ficar “careca” ou com falhas no cabelo).

Em algumas pessoas, pode ser recorrente, retornando de tempos em tempos. A queda ou eflúvio pode ser dividido em dois tipos:

  1. Eflúvio agudo: geralmente se inicia 2-3 meses após o evento desencadeante. Pode-se resolver espontaneamente após alguns meses porém o crescimento e fortalecimento natural dos fios pode ser auxiliado com o uso de suplementos nutricionais. Veja algumas causas para o eflúvio agudo:
    • Febre alta;
    • Trauma cirúrgico;
    • Desnutrição: alimentação desequilibrada, pobre em nutrientes, ou insuficiente;
    • Mudança de medicação;
    • Estresse emocional;
    • Hemorragias;
    • Gravidez e pós-parto.

  2. Eflúvio crônico: nesse caso, a queda é acentuada e dura 6 meses ou mais, sem causa aparente. Geralmente ocorre em mulheres entre 30 e 60 anos e pode provocar queda capilar intensa, com flutuações durante vários anos. O crescimento natural dos fios pode ser auxiliado com o uso de suplementos nutricionais. Veja algumas causas do eflúvio crônico:
    • Doenças da tireoide (a alopecia pode ocorrer em pessoas tanto com hipotireoidismo quanto com hipertireoidismo);
    • Anemia (por falta de ferro);
    • Deficiências de zinco – desencadeadas por alcoolismo, insuficiência do pâncreas, cirrose hepática, síndromes de má absorção em algumas doenças intestinais, queimaduras extensas, câncer, doenças renais, etc.

Para saber mais sobre as causas da queda de cabelos, leia esta matéria.

Quer se aprofundar no assunto? Então baixe grátis aqui o infográfico com números e estatísticas curiosas sobre cabelos e se torne um expert.

Importante: Este produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico. Crianças, gestantes, idosos e portadores de qualquer enfermidade devem consultar o médico ou nutricionista. Consumir este produto conforme recomendação de ingestão diária constante na embalagem.

Produto dispensado de Registro conforme RDC Nº 27/2010.

Não contém glúten.

Este produto não é um medicamento.
Não exceder a recomendação diária de consumo indicada na embalagem.
Mantenha fora do alcance de crianças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *